blog

O DIA DO MÉDICO

destaques 18/10/2018

18 de outubro de cada ano, dia devotado ao médico, um dia de louvor ao profissional de saúde que primeiramente é buscado quando surgem os males que afetam o corpo e, por conseguinte, a mente. E o médico, ser supernatural ou também mais um ser que também é acometido dos mesmos males?

O livro Eclesiástico, presente na Vulgata Latina, traceja alguns dos conflitos que este ser nada supernatural, portanto semelhante a todos os outros humanos, sofre um pouco mais que todos os demais, pois “A doença prolongada fatiga o médico; a doença passageira o deixa sereno (10:9)”; Refere o mesmo texto bíblico que “Ao médico é concedida a honra, porque ele é necessário e foi o Altíssimo quem o criou (38:1)” e que “A ciência do médico o faz andar de cabeça erguida (38:3)”, não deve deixá-lo arrogante, de nariz empinado “para não ser rejeitado pelo sensato”. Outros personagens surgem no texto do Eclesiástico, a exemplo do farmacêutico. O mesmo texto preceitua: “recorre ao médico, pois também a ele o Senhor criou (38:12)”; ao médico é referido que “ele não se afaste de ti, pois tens necessidade de seus serviços (idem); ou seja, sem o paciente/cliente não haverá a necessidade do médico. E que os médicos acreditem no Altíssimo, “pois também eles rogarão ao Senhor para que os dirija no diagnóstico certo e faça acontecer a cura (38:14)”.

Assim, que no Dia do Médico, este profissional que deve ser louvável, dada a sua própria necessidade de executar os seus préstimos àqueles que o procuram, não se afaste das recomendações citadas no livro Eclesiástico, que reconheça a sua dependência de outros profissionais a auxiliá-lo na prática e, sobretudo, jamais se esqueça que, assim como os demais seres humanos, provém do Altíssimo, para que tenha muitos momentos felizes em sua prática diária.

Atenciosamente,

 

Dr. JOSÉ ERNESTO DE OLIVEIRA GOMES

Médico – CRM 10.622-BA – RQE 15.968

Especialista em Medicina Preventiva e Social

Diretor Técnico – Chefe do Corpo Clínico